Propostas para técnico-administrativos

Um corpo técnico qualificado significa uma universidade melhor e mais eficiente e, por isso, uma das principais propostas da Chapa 1: Juntos pela UFF é a da criação de vagas em cursos de mestrado e doutorado na UFF para os seus servidores. E se os servidores fazem tanto pela UFF, a UFF tem que fazer por eles também. A questão da jornada de trinta horas semanais, por exemplo, era empurrada com a barriga há mais de trinta anos! Fizemos a comissão paritária, composta pelos servidores e pelo SINTUFF para a regulamentação da carga horária de trinta horas semanais. Pensando na qualidade de vida do servidor, sugerimos a viabilização de um convênio de saúde para todos na UFF.

Vem com a gente, na Chapa 1: Juntos pela UFF, avançar por uma universidade melhor, com mais valorização dos técnico-administrativos!

Confira abaixo algumas das propostas:

  • Regulamentação do regime de trabalho das 30 horas conforme decisão da Comissão de Trabalho instituída pela Portaria nº 57.529
  • Viabilizar a criação de convênio de saúde para os técnico-administrativos
  • Criar vagas nos programas para o ingresso dos técnico-administrativos  nos cursos de especialização, mestrado e doutorado.
  • Investir na qualificação e treinamento dos servidores nos temas pertinentes à internacionalização, com ênfase em cursos de língua estrangeira gratuitos.
  • Elaborar parcerias com mercados, farmácias, clubes, academias, etc. para garantia de descontos em atividades de esporte, cultura e lazer para os servidores
  • Investir permanentemente em cursos para os técnico-administrativos - tanto dentro da UFF quanto fora desta - buscando criar redes com outras universidades.
  • Ampliar e fortalecer o Programa de Prevenção e Enfrentamento ao assédio moral
  • Criar o Centro de Qualidade de Vida do servidor, espaço flexível para o processo admissional, exames periódicos, além de atividades de promoção da qualidade de vida (dança, artesanato, acupuntura, shiatsu, ioga, etc.)
  • Promover a prevenção e o enfrentamento ao assédio sexual, visando o combate ao preconceito e à Violência contra Mulheres na UFF.
  • Ampliar o número de juntas oficiais para perícia médica e viabilizar a implantação da perícia médica ou junta médica oficial móvel para atendimento às demandas específicas dos Campi de expansão.
  • Descentralizar os serviços  de assistência à saúde para os Campi de expansão, buscando fazer parcerias locais, como forma de torná-los sustentáveis.